sábado, 15 de setembro de 2012

As aves







As aves seguem o voo 
migram de um tempo para outro
Os homens percorrem a poeira
sob uma aparência de sentido 
efémera.


Florbela Ribeiro

1 comentário:

  1. Bom poema, no seu tamanho dá-nos a profundidade também da gravura.

    ResponderEliminar