segunda-feira, 11 de julho de 2011

Subúrbios da infância


Subúrbios da infância

Tarde melancólica
esta
em que o pensamento
se ausenta
pelos subúrbios da infância
Traça caminhos
inalcançáveis
indolente
ao divagar que me aviva
memórias
De novo
o bulir da brisa
embala o sonho suspenso
sobre o manto
de malmequeres silvestres
Submergi no passado
na expressão
dolorida
com a qual me afagas o rosto
de criança.

Florbela Ribeiro
11/07/2011

Sem comentários:

Enviar um comentário