terça-feira, 26 de julho de 2011

Gritante silêncio


Gritante silêncio

É gritante o silêncio
que se abateu sobre as cidades
o terror
tomou de assalto
as expressões
desfigurando-lhes a pacatez
no presente futuro
O crocitar que emerge
dos destroços
abala a solidez
de um mundo
que se julgava ser
circunspecto.


Florbela Ribeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário