domingo, 22 de maio de 2011

RENASCIMENTO






















RENASCIMENTO




O edifício ruiu



a calçada



outrora vistosa



despiu-se



dos barulhos incómodos



do povo



o contra tempo



passou



dos destroços



renascem



farrapos



mãos sujas seguram



o olhar



ampliado para lá



da devastação.




Florbela Ribeiro

Sem comentários:

Enviar um comentário