quinta-feira, 10 de março de 2011

Refugium


























Refugium


Na constância leal dos silêncios

o refugium

onde permaneço

descalça.

O solão que me acolhe

o espólio

e o gotejar da alma

em contrição.

Aqui aguardo

que o feixe prodigioso

me atinja

e arranque a nostalgia.



Florbela Ribeiro®

Sem comentários:

Enviar um comentário