quinta-feira, 31 de março de 2011

Flor do deserto (fragmento) - mutilação genital feminina.wmv



Sei


Sei
que o olhar
reflecte
o cansaço
de uma espera
inglória
e que as mãos
ocultam
com mágoa
as mágoas
e carinhos
de outrora.

Sei
que o corpo
permanece
inerte
ausente
infeliz
e que a boca
bebe
a saudade
de um trago
e abafa a náusea
do destino que diz.

Florbela Ribeiro

1 comentário:

  1. Olá Flor!
    Você nos presenteia com mais este excelente poema. Santa inspiração!
    Com relação ao vídeo, a esse depoimento que deve sensibilizar as pessoas do mundo inteiro para denunciar esse crime hediondo, esse femicídio, é mais uma amostra da crueldade humana. A que ponto chegamos!

    Do Blog Secrets (http://caambe.blogspot.com):

    "A história real da modelo Waris Dirie, 38 anos, que fugiu dos desertos na Somália e se tornou uma modelo famosa no mundo inteiro é contada no filme Flor do Deserto, dirigido por Sherry Hormann e protagonizado pela atriz etíope Liya Kebede. A obra não é apenas mais uma história de Cinderela. Pelo contrário, trata-se da denúncia de uma prática pouco comentada e muito comum em países africanos: A mutilação genital feminina.

    No auge de sua carreira como modelo, em 1997, Waris Dirie chocou o mundo revelando que quando tinha apenas três anos de idade ela mesma foi circuncidada de forma brutal e que ainda sofria com as consequências dessa mutilação. A modelo escreveu livros contando sua experiencia e tornou-se uma das principais defensoras da luta pela erradicação dessa prática.

    Liya Kebede contou que em muitos países da África a mutilação ainda é muito comum. Em alguns países a prática foi proibida, mas infelizmente na África é uma questão cultural, ou seja, é difícil de fiscalizar, porque as pessoas não vão aos hospitais para circuncidar as crianças. Segundo ela, ainda há muito a ser feito para que isso acabe.

    Poucas pessoas sabem que isso [ a mutilação genital feminina] acontece. Por isso o filme é importante, mas ainda há muito o que fazer. Podemos ajudar por meio de instituições sérias que lutam contra essa prática.

    O filme mostra que as crianças são mutiladas em condições percárias, sem o mínimo de higiene e com o consentimento das famílias, que acreditam que mulher que “não é cortada não é pura”.

    ********

    Peço que aceites o meu carinhoso abraço e convite para visitar a nossa página que no dia 8 deste mês estará completando o seu primeiro aniversário.

    Xeros!!!

    ResponderEliminar