quarta-feira, 16 de junho de 2010

Conto de fadas



















Conto de fadas

Eu trago-te nas mãos o esquecimento
Das horas más que tens vivido, Amor!
E para as tuas chagas o ungüento
Com que sarei a minha própria dor.

Os meus gestos são ondas de Sorrento...
Trago no nome as letras duma flor...
Foi dos meus olhos garços que um pintor
Tirou a luz para pintar o vento...

Dou-te o que tenho: o astro que dormita,
O manto dos crepúsculos da tarde,
O sol que é de oiro, a onda que palpita.

Dou-te, comigo, o mundo que Deus fez!
Eu sou Aquela de quem tens saudade,
A princesa de conto: "Era uma vez..."

Florbela Espanca

4 comentários:

  1. Lindo soneto, gosto muito, muito das poesias dessa portuguesa! Conheci-a na faculdade, que maravilha!
    Ah! Olá, entrei no seu blog, pois consta na lista do Sammis Reachers, sou brasileira com ele, mas de São Paulo. Um abraço, Juliana

    ResponderEliminar
  2. Lindo soneto, gosto muito, muito das poesias dessa portuguesa! Tinha o dom das palavras! Que maravilha!!!
    Ah! Olá, entrei no seu blog, porque consta na lista do Sammis Reachers, sou brasileira como ele, mas sou de São Paulo. Um abraço, Juliana

    ResponderEliminar
  3. Flor eu fui convidado pela Juliana, bela poesia! moro no Rio de Janeiro, estamos
    na lista do Sammis em liricoletivo. parabéns
    vou continuar a observar suas letras. Seus versos nos fala de um belo bom!!

    ResponderEliminar
  4. Obrigada Juliana e J.F. Aguiar.
    Voltem sempre.

    Abraço fraterno
    Flor

    ResponderEliminar