quinta-feira, 8 de abril de 2010

PERCEBI





















PERCEBI

Percebi que sinto falta de mim
É um sentimento estranho
Que me assalta nas imagens
Espelhadas de emoções

Admito com honestidade
Esta grande verdade
Mas como inverter a situação?

Responsável pelo que faço
Não faço
Ou impeço de fazer
Olho ao redor

A vida estagnada
Sobrevive à deriva
Aguarda um sinal no horizonte
Uma embarcação que passe
Que a resgate
E a conduza noutra direcção

Seja como for
O tempo esgota-se
O futuro apressa-se em chegar
Trazendo com ele expectativas possíveis
Ou inimagináveis

É inevitável
Mas cabe-me a mim
A decisão de mergulhar ou não
Nesse mar de vagas repentinas e nadar
Nadar até ao rumo certo
Até ao porto seguro
Para encontrar a minha essência
Sem miragens
Na certeza de que onde eu estiver,
TU estarás também.

Florbela Ribeiro®

Sem comentários:

Enviar um comentário