segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

ANO NOVO





Ano Novo



O relógio marca o compasso.

Aproxima-se

O bater das doze badaladas…

De repente, ecoam na cidade manifestações de alegria.

Soa a tradicional euforia,

Trocam-se beijos e abraços,

Ouvem-se para a felicidade os votos

Muita saúde e prosperidade.

Feliz 2010!

Chegou o Ano Novo.



Mas cá dentro, instala-se o silêncio

Invade-me a nostalgia

Um quê de saudade,

Um quê de melancolia

Dos trezentos e muitos dias que atrás deixei.

Doces recordações registadas na memória

E assim termina e inicia

Mais um capítulo da minha história.

E tanto que fiz,

E tanto que deixei por fazer

Tanto que disse

E tanto que ficou por dizer

Tantos planos alterados,

Projectos estagnados

Sonhos concretizados,

Novas experiências

Momentos hilariantes

Novas amizades nasceram

Entre desencontros que ocorreram

Sorri em dias de chuva

Chorei em dias de sol

Subi a altos montes,

Desci a profundos vales

Ora perdi,

Ora ganhei

Sobrevivi…

Mas o balanço que faço de cada passo

é positivo, sabem porquê?

Porque ao meu lado sempre esteve

O Meu…

O Nosso

Bondoso

e Fiel

Amigo!



Florbela Ribeiro



1 comentário:

  1. Amei este poema irmã Florbela!...
    FELIZ ANO NOVO para si e sua família também...
    Beijinhos

    ResponderEliminar