quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

As estrelas abriram as janelas


* As estrelas abriram as janelas *


A cidade parece estar em festa

Pelas ruas ecoam alegres melodias

De Natal, e os enfeites nas

Vitrinas convidam o olhar.

Contempla-se a cor, o brilho mas

Nos semblantes carregados

Paira uma nostalgia oculta.

Dos olhares do coração

Não irradia luz nem alegria

E o frio sentido nas ruas

Transborda nas emoções.

Por obrigação ou tradição

Cumprem-se hábitos rotineiros

Que a época nos exige mas

Vive-se mais um Natal sem sentido

De olhar fito no chão ninguém vê

Que as estrelas abriram as janelas

E jubilosas anunciam o nascimento

De Jesus Cristo Menino

O Salvador



Florbela Ribeiro A. S.

1 comentário:

  1. Florbela, os seus textos mais recentes apresentam uma grande qualidade poética. Gosto de lê-la.
    Continue.
    Que o Senhor a abençoe.
    João

    ResponderEliminar