domingo, 11 de novembro de 2007

Prece...


Prece…

Senhor hoje sinto-me tão pequenina,

Sinto-me tão diminuída e tão frágil

Os problemas que me cercam são tão grandes…

São enormes…

Parecem-me gigantescas montanhas

E estão a cercar-me por todo o lado.

Ah Deus…

Como se isso não bastasse

Ainda se unem e se aproximam de mim

Fazendo como que um cerco fechado

E parece que a qualquer momento me vão tragar

Ah meu Senhor…

Que faço eu agora…?

São tantos os problemas

Tantas as lutas e as dificuldades

Quase não consigo respirar…

Sinto-me sufocar… é muita a pressão

Muita dor, muita desilusão

Em nada encontro solução

Tem misericórdia de mim, Deus

Ajuda-me Senhor…

Resgata-me deste cerco de aflições

Que me vai tragar em vida….

Pai…

Pai tem compaixão de mim

Eu quero tanto sentir o calor do sol

Eu quero tanto sentir a brisa do vento no meu rosto

Eu quero tanto ver o dia amanhecer tranquilo….

Mas faz tanto, tanto tempo

Que tudo isso me é vedado

Não sinto o sol, nem o vento

E cada dia…

Ah cada dia traz com ele mais dor

E uma nova luta

Que se vai acumular às demais já existentes.

O cerco não pára de crescer

A dor não pára de aumentar

Até quando ó Deus?

Até quando irei resistir?

Até quando vais Tu permitir esta minha dor?



…………………………………………….



Perdoa-me Senhor o meu desespero

Perdoa-me…

Perdoa-me pelo meu desabafo incontido

Mas sabes…

Fez-me bem deitar para fora esta dor

Esta imensa agonia

Este imenso tormento que me dilacera a alma

Que me corta em mil pedaços o coração

E me venda por completo os olhos

Porque Tu

Sim Tu Deus

Fizeste essa venda cair dos meus olhos hoje

Ela caiu por terra…

Caiu aos meus pés

No chão…

Ah Deus, eu ainda não vi o que vais fazer

Eu ainda não vi como vais solucionar

Como me vais arrancar deste mar de problemas

Ainda não sei

Eu não sei, mas sinto-me calma

Pois estou segura de que vais fazer algo grande

Grande e maravilhoso

Como só Tu podes e sabes fazer

Sim DEUS, eu acredito em Ti

Eu acredito no Teu poder

No teu agir, no tempo certo

Sim, eu creio em Ti Deus

Pois se Tu criaste este mundo tão belo

Se Tu cuidas dos passarinhos

Não permitindo que eles passem fome nem frio

Tu que criaste as mais belas flores

Tu que do nada tu fizeste toda Criação.

Tu que do pó da Terra criaste o homem

E de uma simples costela fizeste a mulher

Ah meu Senhor, como não crer em Ti?

Nada te está vedado

Nada te está oculto

Nada é impossível a Ti

Para que digas: eu nada posso fazer…

Não!!!!

Mil vezes não!!!

Eu tenho um Deus Grande

Grande em Poder, Glória e Majestade

Um Deus que é bondoso e compassivo

Que cuida dos seus filhos com longanimidade e muito amor

Um Deus que vê cada coração

Que conhece toda a alma

E que sabe o seus limites.

Pois…

O meu limite

O meu limite esgotou-se Pai

E Tu sabes disso, e eu sei também

Porque agora, neste preciso momento

Tu, Senhor, aliviaste a minha dor

Tu me mostraste a Tua mão estendida do alto

Para me resgatar

Para me arrancar deste vale onde os montes me cercam

E intentam esmagar-me

Mas Tu Senhor, Tu não vais permitir

Melhor ainda…

Tu, não permites mesmo

Porque nesta mesma hora

Eu estou a ser erguida por Ti Deus…

Os montes…

Os montes estão aqui, no mesmo lugar

Mas ao direccionar os meus olhos para cima

Para o alto, eu posso sentir a brisa do vento no meu rosto

Posso sentir o calor dos raios de sol no meu corpo

E consigo ver as aves que voam no alto céu…

Estou a olhar para o alto agora

E parece-me que estou mais perto de Ti

Os montes… como que diminuem aos meus olhos

Ou será que és Tu Deus

Que me estás a dar uma lição?

Porque os montes são os mesmos

O sol e a brisa do vento nunca deixaram de existir

E as aves…

Bem, as aves todos os dias andam voando e cantando

Com o seu alegre chilrear

Mas eu não as ouvia Deus

Estava tão absorvida com os meus problemas

Que não as ouvia nem nada sentia

Esqueci-me de olhar para o alto

Esqueci-me de clamar a Ti

Esqueci-me do quanto me amas

Esqueci-me de que eu também te amo… mas esqueci

Perdoa-me Deus…

Tem compaixão de mim, Senhor

E obrigada pela dor

Obrigada por estes montes

E por estas lutas que me estás a dar

Porque agora eu sei

Que através delas eu vou poder ver

Vou poder sentir

Vou poder viver

E vou poder testemunhar

Do Grande e Maravilhoso Deus que és Tu

Obrigada Senhor

Obrigada pelo teu imenso amor

Grata, te sou por tudo

Mesmo pela dor

E há algo Senhor que jamais irei esquecer

É que eu te amo Deus…





*Florbela Ribeiro A. Silva / Outubro 2007*

1 comentário:

  1. "Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço que a minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência. Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise. Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história. É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma. É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida. Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um "não". É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta. Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo..."

    Fernando Pessoa

    ResponderEliminar