sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Uma Luz e uma Voz


Uma Luz e uma Voz



Uma luz e uma voz foram os meios usados por Deus para a famosa conversão de Saulo.

Esse homem era então um perseguidor da Igreja e dos verdadeiros crentes, mas que aos seus olhos não passavam duma seita falsa, herética e perigosa, a qual, segundo pensava, era conveniente liquidar com toda a urgência.

Por isso, tanto em Israel como até nas nações vizinhas, Saulo os perseguia, prendia e maltratava com crueldade.

Mas, para espanto geral, a notícia corria célere na boca dos crentes.

«O nosso perseguidor anuncia agora a mesma fé que nós.»

O que aconteceu com esse homem?

Como surgiu tal mudança?

A essa transformação a Bíblia chama de Novo Nascimento ou Conversão, a qual é exigida a todos os homens.

Porém é conveniente esclarecer, desde já, que conversão não significa adesão a uma religião diferente.

Também não é uma troca de credo motivada tantas vezes por interesse ou conveniências de casamento, de negócio, ou outros.

A conversão tem que estar ligada com convicção de pecado, arrependimento duma vida passada que ofende a Deus e uma fé no amor e na Sua misericórdia, bem como o desejo de passarmos a obedecer aos ensinos das Escrituras para assim Lhe agradarmos.

A conversão começa no interior, embora se manifeste progressivamente no exterior.

A Bíblia chama-lhe «mudança de coração», «nova vida», «nova criatura».

Se não vos converterdes não podeis entrar no reino de Deus (Mateus 18:3 / João 3:3).

Arrependei-vos e convertei-vos para que sejam apagados os vossos pecados (Atos 3:19).

Antes da conversão o homem é comparado ao zambujeiro – árvore bravia de fruto amargo.

Depois ele passa a ser considerado oliveira.

Mas vejamos o que Deus usou a fim de produzir a conversão desse perseguidor da Igreja.



Uma luz cercou-o de resplendor



A Luz foi o meio, através do qual Deus se revelou, e isto para mostrara a primeira necessidade de Saulo.

Jesus não veio a ele com uma espada, apesar de o seu procedimento o merecer, mas sim conforme a sua necessidade.

Isto é amor!

Essa luz não iluminou apenas o exterior, mas penetrou bem fundo na consciência desse religioso cruel.

Imediatamente ele viu-se um pecador, um perdido.

Concluiu então que Jesus não era um defunto, mas estava vivo e era o Messias, o Filho de Deus.

Saulo reconhece-se em oposição a Deus e não servo d’Ele como antes pensava.

Cristo pretende que esta convicção se repita em cada um de nós.

O Seu desejo é aniquilar as trevas em que cada homem vive mergulhado.

Deus tem urgência em pôr fim a essa escuridão.

No princípio havia trevas, segundo lemos nos primeiros versículos da Bíblia, mas logo descobrimos que Deus não as desejava e ordenou: «Haja Luz!».

A cegueira, as trevas espirituais em que o homem vive são provocadas pelo diabo o qual «cegou os entendimentos dos incrédulos», diz mais tarde o Apóstolo Paulo (II Coríntios 4:4).

Mas como pode chegar a nós essa luz?

Deus nos envia a mesma através da Sua Santa Palavra.

Lemos que a Palavra «alumia os olhos», que é «lâmpada para os meus pés e luz para o meu caminho» (Salmo 19:8 / 119:105).

Nas vidas onde esta palavra actua nasce luz.

No dia de Pentecostes os que ouviram a pregação de Pedro receberam luz sobre o seu estado espiritual e clamaram: «que faremos, varões irmãos?»

A exposição da Palavra de Deus dá luz (Salmo 119:130).

Portanto torna-se necessário que o homem leia, estude e assista à pregação do Evangelho.

Aos que interrogavam Jesus remetia-os Ele para as páginas do Livro de Deus.

Se o leitor quer ter luz, procure-a na Bíblia Sagrada.



Saulo ouviu uma voz



Após a luz, Saulo teve o privilégio de ouvir uma voz.

Por esse meio ele recebeu orientação para se dirigir a Damasco e ali ser ensinado e instruído acerca do caminho da salvação por um discípulo que lá vivia, o qual o recebeu, através duma visão, ordens de Jesus para dirigir à rua Direita e procurar um homem de Tarso chamado Saulo.

Ananias obedeceu a esta visão e em breve o religioso fanático era baptizado nas águas após haver aceite no seu coração a verdade do Evangelho.

Saulo ficou radiante.

Os seus pecados são perdoados e a sua alma é agora invadida por uma paixão pelos muitos religiosos que vivem perdidos tal como ele viveu.

De imediato se transforma na voz de Deus, pois se dirige à sinagoga e começa a testemunhar da sua conversão e da verdade encontrada em Jesus Cristo.

Todos precisam de Luz e da Voz, sem a qual o trabalho divino no homem fica incompleto.

A luz mostra e a vos instrui.

Depois de se reconhecer pecador aos olhos de Deus, o homem precisa conhecer quem é o médico e o remédio eficaz para a sua cura.

Os companheiros de Paulo, apenas viram a luz, mas não ouviram a voz (Atos 22:9).

Viram o brilho da luz porém não ouviram a mensagem nem entenderam o seu significado.

Lemos na Bíblia que quando Jesus nasceu, os pastores que guardavam os rebanhos foram envolvidos por um resplendor de luz.

Ficaram cheios de medo, mas a voz do Anjo lhes disse: «Hoje na cidade de David, vos nasceu o Salvador que é Cristo o Senhor» (Lucas 2:9-10).

De novo temos a ordem: A Luz e a Voz.

Esses homens sem a voz nada podiam saber nem contar aos outros.

Temos hoje a voz para que o homem, após receber a luz da Palavra, aprenda e compreenda o plano de Deus?

João Baptista disse aos judeus daquele tempo: «Eu sou a voz» (João 1:23).

Esse precursor de Jesus anunciava aos seus contemporâneos que ele era a voz de Deus.

Ele tinha da parte de Deus uma mensagem, um recado, tinha Alguém para lhes revelar e esse era: Jesus, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

Muitos no princípio não deram crédito as suas palavras, mas mais tarde, perante os factos, já diziam: «Tudo quanto ele disse era verdade» (João 10:41).

A Voz de Deus é, portanto, cada crente, cada pregador que fala todo o conselho de Deus, mas apenas esses, pois muitos falam só o que lhes convém e agrada às suas vaidades, tal como o próprio satanás que também fala da Bíblia, porém sempre com outras intenções.

O mundo está cheio de falsificadores da Palavra do Senhor (II Coríntios 2:17), esses não podem ser a voz de Deus.

Ensinam tradições e mandamentos humanos misturados com textos bíblicos deslocados, e isso é um pecado horrível (Mateus 15:9).

Deus concedeu-nos a Sua Palavra e nós temos que a transmitir.

É crendo nela que se pode saber como ser salvo e agradar a Deus.

Um homem estava no Hades e pediu que um morto ressuscitasse e viesse à Terra avisar os seus familiares do mau caminho e exortá-los ao arrependimento. Então foi lhe dito: «Têm na terra Moisés e os profetas, -ouçam-nos» (Lucas 16:29).

Não existe outro meio para ouvir a Voz de senão pelo crente que fala a Sua Palavra.

«Ide e pregai o meu Evangelho. Quem crer e for baptizado será salvo, mas quem não crer será condenado» – disse Jesus.

Deus está falando agora. Ao ler este estudo está a ouvir a voz de Deus.

Decide-te a obedecer como fez Saulo.

Não defenda suas ideias religiosas.

Agora mesmo dê crédito à voz do Senhor, embora isso exija grande mudança.

(Pastor M. Moutinho / Dezembro 1981)

Sem comentários:

Enviar um comentário