sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Só a verdade interessa


Só a verdade interessa



A verdade é aquilo que é autêntico, verídico, certo, fiel, seguro.

Só existe uma verdade em cada assunto, também o há na salvação do homem. Satanás procura que um terrível matagal se desenvolva no campo religiosos e doutrinário, para que a verdade fique oculta e incapaz de ser compreendida. Mas se é real esse esforço diabólico no sentido de desorientar as pobres criaturas, é também gloriosa a realidade de que o Espírito de Deus mantém todo um plano, um esforço para que a luz resplandeça nas trevas.

Multidões desculpam-se, com a existência duma tal babilónia religiosa, para sua inércia e indiferença nos assuntos espirituais.

Mas isso não servirá de desculpa a ninguém, pois existem meios suficientes de dirigir o pecador, desde que este os deseje.

Cada crente convertido pode dizer como outrora Elieser: “Bendito seja Deus que me encaminhou pelo caminho da verdade” (Génesis 24:48).

Para que tal seja possível, são porém necessárias no homem algumas características que passo a mencionar.



Desejar a verdade



“Que é a verdade?”, perguntava um dia Pôncio Pilatos a Jesus – (João 18:38).

Sabemos pela Escritura Sagrada que o governador romano não estava interessado em tal conhecimento. É necessário, todavia, que exista.

A Bíblia recomenda: “Ponde-vos nos caminhos e (…) perguntai” – Jeremias 6:16.

Em contrapartida S. Paulo diz na carta aos Romanos 1:28 que muitos não se importam de ter conhecimento. Outros – afirma o mesmo apóstolo “aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade” – (II Timóteo 3:7).

Isto porque o estudo que fazem e as pesquisas a que se entregam visam defender a sua verdade religiosa ou telógica, e não a verdade absoluta, a verdade divina.

Cornélio desejava profundamente a verdade, e Deus enviou-lhe um anjo para informá-lo da pessoa que o podia ensinar.

A samaritana disse a Jesus que aguardava a vinda do Messias a fim de esclarecer a verdade.

Nicodemos solicitou de noite uma audiência a Jesus, pois queria ser elucidado.

Os que se encolhem à espera que a verdade lhes surja como a chuva que cai sem a pedirmos, jamais a encontrarão. É Deus quem afirma “Os que Me buscam, Me acharão”. Se Deus existe, não podemos admitir que deixe à deriva e em confusão aqueles que O desejam invocar e seguir.

Ele não Se deixa sem testemunho, antes sairá ao encontro dos que O procuram mesmo em lugares errados, tacteando. Aquele que busca ansiosamente a verdade não permanece em lugares ou se prende a doutrinas, costumes e tradições que não lhe garantem a certeza da vida eterna.



Amar a verdade

Muitos não têm amor à verdade, como se lê na Bíblia II Tessalonicenses 2:10.

É um facto que as pessoas, regra geral, desejam apenas ter uma religião ou doutrina, sem se preocuparem se a mesma é ou não verdadeira.

Advogam a ideia de que todas as religiões são boas desde que praticadas com sinceridade. Contudo, não se atrevem a tomar indiscriminadamente qualquer remédio quando gravemente enfermos, com a desculpa que todo o remédio é bom desde que tomado com sinceridade, pois isso representaria a morte fatal.

Tais pessoas nem sequer escolhem o remédio, antes consultam o médico que, por sua vez, receita o medicamento indicado.

Ora se assim procedem para com o mal que ataca o corpo, devem de igual modo proceder em relação ao mal que ataca a alma, o pecado. Só Jesus, o Médico Divino, pode dizer como seremos salvos, e nunca deverá ser o pecador a diagnosticar e a receitar o remédio para si mesmo.

O problema da nossa salvação não é assim tão insignificante que se trate de qualquer forma, ou ao acaso.

Lê-se na Bíblia, que para o povo israelita não deixar o país e adorar em Jerusalém, o respectivo monarca decidiu criar uma religião mais cómoda, não precisando os seus súbditos de se dirigirem ao famoso templo.

Levantou altares e colocou nos mesmos dois bezerros para serem cultuados, como se Deus fosse semelhante a um bezerro! (I Reis 12:28).

Para muitos tudo serve, tudo está bem, uma vez que não têm amor a verdade. A Bíblia, todavia, declara só haver uma porta, e que quem entra por outra não será salvo. Se a Escritura Sagrada ensina que só há um Mediador, aqueles que procuram outro (seja anjo, santo, ou filosofias) não têm acesso à presença do Eterno.

O amigo pode ficar muito contente com a sua religião, seu conceito filosófico, doutrina que até poderá ter apoio papal, por exemplo, mas se não é a verdade de Deus, tem tanto valor como montanhas de dinheiro falso.



Obedecer à verdade



“Purificando as vossas almas na obediência à verdade” (I Pedro 1:22).

Conhecer a verdade e não obedecer à mesma é como saber o remédio eficaz e não o tomar. Pois não é a convicção que salva, mas o aceitar.

S. Paulo diz que os crentes da Galácia estavam em perigo por desobedecerem à verdade, e isto depois de terem conhecimento dela, (Gálatas 3:1).

O obedecer é proceder conforme a revelação e ensino recebido. Lemos que, no tempo de Jesus, muitos chegaram ao conhecimento da verdade, mas não obedeciam com receio de serem expulsos da sinagoga, (João 12:42).

Muitos, actualmente, são semelhantes a eles. Conhecem a verdade, porém não estão dispostos a obedecer, uma vez que isso implicaria juntarem-se numa casa de culto simples, com pessoas pobres da cidade ou aldeia onde vivem.

Há até os que defendem a verdade.

Afirmam que em tal igreja é que se prega o autêntico Evangelho, mas eles ficam de fora.

Jesus afirmou que seremos Seus Amigos se fizermos o que Ele manda. O apóstolo Paulo, quando conheceu a verdade, diz que não consultou a carne nem o sangue, principiando imediatamente a falar de Jesus.

A muitos creio que só falta obedecer.



Falar a verdade



“Tudo quanto João disse de Jesus era verdade” (João 10:41)

O maior elogio dado ao percursor de Cristo foi estas palavras. De início duvidaram, mas mais tarde haviam de testificar que ele lhes dissera a verdade. João Baptista apresentou Jesus como o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”.

Anunciou-O como o Messias, o que baptiza com o Espírito Santo.

Infelizmente poucos deram ouvidos, e só um número reduzido de pessoas creu nas palavras de João.

Mas o que importa é que ele apontou o Salvador, o único que tira o pecado do mundo. Os que encontram a verdade precisam de começar falando da verdade. Somos esclarecidos para esclarecer os outros.

Seria egoísmo guardar só para nós o conhecimento da verdade.

Satanás procura carregar as pessoas de vergonha, insinuando que todos vão escarnecer, que não é connosco.

Para falar da verdade temos que de denunciar o erro, a falsidade. Aqui reside o motivo de muitos choques.

Há os que argumentam não devermos atacar as outras doutrinas.

Mas isso é traição e cobardia.

Como permitir que alguém tome veneno, não o avisando apenas por respeitar às opiniões dos outros?

Nunca!

Como posso eu dizer que tudo é verdade se só existe uma verdade que é Jesus e a Sua Palavra?

O que os outros afirmam ser verdade, mas que não está conforme o ensino de Jesus, é mentira.

O que os homens apregoam, em oposição à Escritura Sagrada, é simplesmente falso.

As meias verdades são tão perigosas como as mentiras descaradas. É tão errado crer em Maria para salvação, como em Maomé ou Buda.

É tão falso crer que o fogo do “Purgatório” purifica o pecador, como os que se banham no rio Ganges ficarem santos e limpos.

Deus e Sua Palavra são a verdade, e nela confiamos.

Não confiamos em textos isolados, deturpados, mas na Palavra que é conforme toda a revelação, e não aceitamos outra verdade senão Jesus e o Seu Evangelho.





Conhecer a verdade



“Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (João 8:32).

Não estamos à espera da eternidade para receber os frutos da verdade. Já desfrutamos uma vida de libertação do erro, do fanatismo, da confusão e da dúvida.

Paulo diz: Sabemos em quem temos crido. Sabemos que temos a vida eterna. Sabemos que somos filhos de Deus. Sabemos que os nossos pecados estão perdoados. Sabemos que se Cristo vier e estivermos vivos, seremos arrebatados e transformados para irmos ao Seu encontro nos ares.

Não receamos o julgamento, pois os que estão em Cristo jamais serão condenados.

Deixamos, à partida deste mundo, uma família descansada a nosso respeito que não fica a rogar (ou a pagar) por nós, antes a ser fiel a Deus para um dia se juntar a nós na casa do Pai.

Tudo isto são verdades experimentadas pelos que buscaram e obedeceram à Verdade.

Isto não são ilusões, ideias ou sonhos, mas promessas de Deus nas quais cremos.

Neste assunto seja Deus verdadeiro e todo o homem mentiroso (Romanos 3:4).

Nada é mais belo para um ser humano do que viver como diz S. João na sua carta: “Deus nos deu entendimento para conhecermos o que é verdadeiro; e no que é verdadeiro, isto é, no Seu Filho, Jesus Cristo” (I João 5:20).



(Pastor Manuel Moutinho – Novembro 1979)

Sem comentários:

Enviar um comentário