sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Sansão...


Estudo sobre Sansão



Sansão morreu de forma natural ou cometeu suicídio?



Eis aqui uma questão importante e inquietante.

Mas antes de responder quero comentar a vida deste homem de Deus, para melhor se entender o que realmente aconteceu.

Morte ou suicídio eis a questão.



À luz das Sagradas Escrituras, podemos analisar que Sansão nasceu com um propósito muito especial.

Devido aos deslizes e pecados constantes do povo de Israel, Deus os entregou na mão dos filisteus, por quarenta anos.

Deus na sua infinita misericórdia, enviou mais uma vez o socorro ao seu povo.

Desta feita enviou o Senhor um anjo à mulher de Manoá.

Esta era estéril, não tinha por isso filhos, mas o anjo do Senhor deu-lhe a boa nova e explicou-lhe como deveria agir.

Ela deveria pois guardar-se de não beber vinho, nem comer nada imundo, nem ainda passar navalha na cabeça do filho varão, que ia nascer. Ele seria um nazireu consagrado a Deus desde o ventre da mãe.



Faço aqui uma pausa para explicar o que significa ser nazireu.



Nazireu: traduzido para português = separado.

Na-zír: em hebraico =consagrado a Yaveh.

Né-zir: variação do hebraico = sinal sagrado de dedicação.



Este nome designa uma pessoa consagrada e dedicada totalmente ao Senhor.

Esta consagração poderia durar um período de tempo ou toda a vida. No caso de Sansão, o seu estado de nazireu era um chamamento, uma vocação desde antes do seu nascimento e para toda a vida.

Não foi por opção, mas sim pela Graça de Deus que Sansão foi separado para O servir.

O seu voto era de uma consagração total, para toda a vida, como lemos em Juízes 13:5: “…porque o menino será nazireu de Deus desde o ventre…”



Sansão veio ao mundo com um propósito muito especial.

Iniciar o livramento do povo de Israel das mãos dos filisteus, (Juízes 13:5).



Vejamos a importância das recomendações que o anjo deu à mãe de Sansão.



1º Guardar-se de não beber vinho:



A Palavra de Deus, diz referindo-se aos sacerdotes que estes não deveriam beber vinho quando entrassem para ministrar diante do Senhor. Fora isso poderiam beber, sempre com moderação.

No caso de Sansão verificamos que esta proibição começou ainda quando este se encontrava no ventre da mãe. Pois já aí ele estava separado para Deus.

Sansão trabalhava a tempo integral na obra do Senhor.

Qual guerreiro em campo de batalha, Sansão tinha por missão estar sempre pronto para defender o povo israelita.

Tinha que estar sempre lúcido, sempre vigilante e atento para cumprir as ordens do Senhor a quem estava consagrado.



2º Não comer nada imundo:



Isto simboliza a separação das coisas santas das mundanas, das puras para as imundas.

Sansão era considerado como um Templo vivo, por tanto não poderia contaminar-se com nada de imundo, impuro ou mundano, ainda dentro do ventre da sua mãe.

Isto revela-nos a separação tanto a nível físico como espiritual, que Deus pretendia de Sansão.

Em Romanos 8:6 diz: “Porque a inclinação da carne é morte…

Usando o mesmo exemplo do sacerdote, este não poderia tocar em nenhum corpo morto, contudo havia uma excepção no caso de o morto ser parente próximo.

Morto ou morte aqui simboliza carne, pecado, imundície e impureza.

Sansão como nazireu e Templo vivo diante do Senhor, não poderia nunca fazer tal, nem que este fosse familiar próximo.

Sansão deveria viver apartado de tudo o que fosse pecado e abster-se dos prazeres imorais deste mundo.



Até aqui vemos que Sansão tinha que estar sempre vigilante na sua missão de nazireu e não deixar-se nunca contaminar pelo mundo que o rodeava.







3º Cabelos compridos:



Aqui vemos uma marca externa da consagração interna de Sansão.

Esta cabeleira comprida simbolizava a coroa da glória que havia sobre Sansão.

Por ela todos sabiam que ele estava separado e consagrado para Deus.

De acordo com o Novo Testamento, os cabelos longos no homem são algo vergonhoso, (I Coríntios 11:14).

Ao deixar crescer os seus cabelos Sansão, declarava a sua disposição em suportar toda a zombaria e o opróbrio por amor a Deus.



Faço aqui um parêntesis para analisar este aspecto ao nível do crente actual.

Todos nós, os que verdadeiramente somos salvos, estamos separados do mundo.

Vivemos no mundo, mas não para o mundo, nem para os seus prazeres e falsos encantos. Este mundo não atrai o verdadeiro cristão, pelo contrário, o crente deseja a Vinda de Cristo com ansiedade pois o pecado que este mundo contém sufoca e entristece a alma dos filhos de Deus.

O gozo terreno não trás satisfação alguma, porque todo o prazer e satisfação está no encontro que o homem tem com o Salvador Jesus Cristo.



Sansão nazireu – homem separado para servir a Deus.

Crente fiel – separado do mundo, para ser a luz e o sal, na terra.

O Mundo caminha numa direcção, mas os filhos de Deus, seguem em direcção oposta tanto na escola, no trabalho na sociedade em geral.

O nosso exterior, nossa conduta, nossa maneira de falar, de agir, de pensar, nossos divertimentos, os locais que frequentamos, deve fazer a diferença na sociedade que nos rodeia.

Porquê?

Porque fomos escolhidos e separados para viver e servir a Deus, Nosso Senhor e Salvador!

Aleluia!!!



Avaliemos agora a conduta de Sansão.

Enquanto ele foi fiel ao voto de nazireu, Deus o abençoou grandemente.

A Bíblia relata-nos os actos heróicos que ele praticou.

Sabemos que a força física de Sansão não provinha dele mesmo, mas do Espírito do Senhor que tinha descido sobre ele.



Quando matou o leão com as próprias mãos.

“Então o espírito do Senhor se apossou dele tão possantemente que o fendeu de alto a baixo, como quem fende um cabrito, sem ter nada na sua mão” (Juízes 14:6);



Outra situação foi quando fez uma aposta com os filisteus.

Ele deu-lhes um enigma para decifrar, mas foi traído pela futura esposa e ficando muito irritado matou 30 filisteus e tomou os seus vestidos e pagou a sua dívida, (Juízes 14:19).

“Então o espírito do Senhor tão possantemente se apossou dele, que desceu aos ascalonitas, e matou deles 30 homens, e tomou os seus vestidos e deu as mudas de vestidos aos que declararam o enigma…”



Após esta situação o sogro de Sansão deu a filha que ele desejava para si, ao seu companheiro. Furioso Sansão pegou fogo às searas dos filisteus.

Quando estes descobriram mataram a mulher que ele tanto desejava assim como o pai dela. (Juízes 15:1-7).

Esta situação fez com que o povo de Judá deixasse de ver Sansão como o libertador do povo.

Ele tornou-se aos olhos do povo, mais uma causa para sofrer perseguição por parte dos filisteus.

Por este motivo 3000 homens de Judá amarraram Sansão e o entregaram aos filisteus, (Juízes 15:10-13).

Quando os filisteus viram Sansão amarrado e humilhado, pois estava sendo trazido pelo seu próprio povo, jubilaram.

Mas mais uma vez o Senhor foi com Sansão.

“E, vindo ele a Leí, os filisteus lhe saíram ao encontro, jubilando: porém, o Espírito do Senhor possantemente se apossou dele, e as cordas que ele tinha nos braços se tornaram como fios de linho que estão queimados, e as suas amarraduras se desfizeram das suas mãos. E achou uma queixada fresca de um jumento, e estendeu a sua mão tomou-a, e feriu com ela mil homens.” (Juízes 15: 14-15)

Nestas duas últimas situações podemos constatar que Sansão estava a desviar-se gradualmente dos propósitos que Deus tinha para a sua vida.

A vingança de Sansão afastou-o dos caminhos de Deus.

Ele estava a vingar-se por motivos pessoais e não para libertar o povo israelita.

Foi esse o grande erro de Sansão.

Ele desviou-se de Deus e passou a seguir os seus desejos pessoais.

Sua queda começou quando olhou para uma mulher filisteia e a desejou para si como mulher (Juízes 14:1-2).

Ele veia para libertar o povo israelita e não para se misturar com os filisteus.

Deus tinha um caminho traçado para Sansão repleto de Graça, Poder e Unção, mas Sansão desviou o seu olhar do criador e olhou para o mundo que o cercava.



Na sua insatisfação pessoal Sansão, continua agindo de forma errada quando procura uma prostituta, (Juízes 16:1)

Ele desviou-se de Deus de tal forma que iniciou a busca de satisfação nos prazeres da carne.

Acredito que apesar dos muitos erros que Sansão já tinha cometido, a partir do momento que olhou para uma mulher filisteia, Deus teve misericórdia dele e na sua longanimidade continuou abençoando-o.

Mas verificamos que a partir do capítulo 16 de Juízes Sansão fica por conta própria.

Sansão escolheu o mundo e Deus respeitou com tristeza a sua escolha, abandonando-o na sua jornada.

O servo que Deus elegera para iniciar a libertação do povo, tinha caído nas amarras de satanás.

Sansão desviou-se do seu caminho, porque olhou para o lado.



Que Deus tenha misericórdia de nós, para que jamais façamos como ele fez. Que nossos olhos possam estar sempre virados na direcção do Nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.



Sansão desceu até ao fim do poço.

Foi enganado, humilhado, desprezado, escravizado e até os seus olhos lhe foram arrancados.



Quanto sofrimento padeceu por se desviar de Deus, e dar azo a uma atracção da carne, satisfazendo assim os seus desejos imorais.



O senhor deste mundo é hábil em seduzir com beleza, encantos e artifícios, mas tudo isto é apenas e só, uma ratoeira para ver quem nela cai.

Infelizmente podemos constatar que muitos estão caindo na armadilha.

Desviam-se do primeiro amor, ficam mornos, deixam de ir aos cultos, de ler a Palavra de Deus, deixam de ter comunhão com Deus através da oração, e assim se inicia a queda do homem.

Subtilmente o inimigo vai entrando e se enraizando ficando o crente indefeso perante o poder de satanás, cai na cilada e fica derrotado.





Foi o que aconteceu com Sansão.

Mas apesar de ele se ter afastado de Deus, e ter perdido a sua comunhão com o Senhor, Deus esperava por Sansão.

A sua misericórdia é grande sobre os que se arrependem.

A prova está quando Sansão clamou ao Senhor verdadeiramente arrependido, Deus não só o ouviu, como também renovou as suas forças.

“Então Sansão clamou ao Senhor e disse: Senhor JEOVÁ, peço-te que te lembres de mim e esforça-me agora, só desta vez, ó Deus, para que de uma vez me vingue dos filisteus, pelos meus dois olhos.

Abraçou-se, pois, Sansão com as duas colunas do meio, em que se sustinha a casa, e arrimou-se sobre elas, com a sua mão direita numa e com a esquerda na outra.

E disse Sansão: Morra eu com os filisteus! E inclinou-se com força, e a casa caiu sobre os príncipes e sobre todo o povo que nela havia; e foram mais os mortos que matou na sua morte do que os que matara na sua vida.” (Juízes 16:28-30)



Foi esta demonstração de arrependimento e fé em Deus que nos dá a resposta à pergunta em cima elaborada.

Morte ou suicídio?

Morte claramente.

Se tal não fosse Deus jamais o incluiria entre os Heróis da Fé, como está escrito em Hebreus 11:32.

Apesar do terrível desvio que Sansão fez na sua trajectória de vida, ele no final da mesma, termina cumprindo o propósito para o qual veio a este mundo.

Iniciar a libertação do povo israelita da opressão dos filisteus, matando na hora da sua morte mais filisteus do que em toda a sua vida.

Sansão era um guerreiro de Deus e morreu na Batalha, ao serviço do seu Senhor!

Deus seja Louvado!

Amem!



30 de Junho de 2006

Florbela Ribeiro A. S.

Sem comentários:

Enviar um comentário