sexta-feira, 28 de setembro de 2007

Culto doméstico






Escreveu certo crente:”Quando eu era capelão na penitenciária de Arkansas, dos 1700 criminosos presos, só um fora criado num lar onde havia culto doméstico. Eu soube depois de ele ter sido libertado porque provaram a sua inocência.”

Podemos seguir de novo o caminho das viagens de Abraão, pelos altares que levantou onde parava, durante as suas peregrinações.

“E edificou ali um altar ao Senhor, e invocou o nome do Senhor” (Génesis 12:7-8).

Qual o segredo de Abraão, quase o único filho de Deus em toda a Terra, a resistir ao mundanismo e alcançar o título de pai dos fiéis? (Romanos 4:11-16).

A resposta é: o altar familiar, ele em todo o lugar, invocava o nome de Deus com todos os que habitavam a sua casa (Génesis 18:19).

E desde o tempo de Abraão, os mais fiéis da Igreja de Cristo testificam da mesma necessidade de iniciar o dia com o culto doméstico.

Um dos mais conhecidos pregadores na história da Inglaterra foi Ricardo Baxter. Quando ainda jovem foi chamado a pastorear uma grande igreja, cujos membros eram ricos e instruídos.

Achou-os frios e carnais, e por isso ficou desapontado e desanimado.

O jovem pregador dizia: “O único meio de salvar a igreja, a restante cidade e estabelecer a religião nos lares em redor, é levantar o altar familiar.”

Passou três anos trabalhando, visitando casas, disposto a estabelecer o culto doméstico em todos os lares. Conseguiu isto até um grau admirável, e o ambiente nos lares foi a base do movimento que encheu a igreja de ouvintes e iniciou o glorioso ministério da sua vida.

Baxter provou que, para a igreja, o altar familiar nos lares dos membros é indispensável.

Havia dezanove filhos na família Wesley, mas nunca se achavam demasiadamente ocupados a ponto de não realizarem o culto doméstico.

Gozavam de tão grandes bênçãos nessas ocasiões em ler a Bíblia e orar que, às vezes até com vizinhos se congregavam nas divisões da humilde casa para se ajoelharem com a família perante o trono de Deus.

Eram horas perdidas?

Não, eram os alicerces do avivamento mundial que acompanhou o ministério de João Carlos Wesley.

Desejo enumerar aqui algumas vantagens que a família goza, se, em espírito e verdade, fizer o culto doméstico todos os dias:



1 – Não há coisa que faça um ambiente tão doce, e que enriqueça tanto a comunhão entre membros da família no lar, como o culto doméstico.



2 – Evita as desavenças e endireita toda a desunião do lar.



3 – Leva os filhos a perseverar em seguir após Cristo, e determina o seu bem-estar eterno.



4 – Prepara-nos para render melhor serviço e glorificar a Deus no trabalho diário, na escola, em casa, no escritório, no comércio ou na fábrica.



5 – Dá-nos força para enfrentar, com coragem, todos os problemas e tentações durante o dia.



6 – Faz-nos passar o dia lembrando a presença do Divino Amigo e Ajudador.



7 – Consagra a amizade com os hóspedes em nossa casa.



8 – Aumenta a influência e a obra da Igreja no Mundo inteiro.



9 – Incentiva outros lares a concederem também um lugar para Cristo.



10 – Honra ao Pai celestial e manifesta a nossa gratidão por Sua misericórdia e bênção.



O segredo do culto doméstico está em que seja dirigido por alguém que já passou algum tempo, nesse mesmo dia, em íntima comunhão com Deus, na leitura da Sua Palavra e em oração, e que tem o alvo de levar todos os membros da família a procederem da mesma forma.

Ninguém pode desculpar-se alegando não haver tempo, porque depois de ter o Senhor ao lado, poderá fazer em poucos minutos, muito mais do que toda a vida sem Ele.

E, certamente, todos podem achar tempo para aquilo que é essencial à salvação e segurança de todos os membros da família.

Conta um biógrafo de Abraão Lincoln como ele fez o seu discurso inaugural.

A tempestade da Guerra Civil estava para desencadear-se sobre os Estados Unidos e não havia meio de evitá-la. A Câmara do Senado estava superlotada. O cadáver de um dos seus filhos jazia na Casa Branca, e o outro estava às portas da morte. O país encontrava-se perante a maior crise da sua história.

Lincoln, contudo, levantou-se e falou com tal clareza, calma e coragem que os homens e mulheres se sentiram como se estivessem presenciando um milagre.

Não sabiam que Abraão Lincoln, antes de sair do seu lar, lera a Bíblia, e no quarto escuro fizera culto doméstico como de costume. Depois no silêncio do seu quarto, caiu de joelhos e rogou Àquele cuja mão sustém o Mundo, que o sustentasse, e guiasse a nação!

Atentemos pois para este maravilhoso exemplo.

Sigamos também com o mesmo propósito.

Que este testemunho real possa abrir o nosso entendimento para que possamos fazer o nosso dever e a nossa parte, e não estar sempre a espera que Deus faça tudo.

Deus opera mas, também espera que tu faças a tua parte!

Se assim fizeres Deus te irá abençoar grandemente!

Que teus passos sejam a cada dia guiados por Aquele que é a Rocha Eterna, Castelo forte, Esconderijo do Altíssimo e nosso Amado Salvador!

Na Paz de Cristo.

Sem comentários:

Enviar um comentário